maio 30, 2019

Blog thumbnail

Convulsões em animais

Isso mesmo, os animais também apresentam convulsões, e é grave. Elas podem ser de dois tipos:

Parcial: Podem aparecer alterações motoras, animal tremendo a cabeça, contração de uma extremidade, abertura involuntária das mandíbulas, etc. Podem ou não ser acompanhadas de mudanças de comportamento como caçar “moscas imaginárias”, latir sem motivo, perseguir a cauda, ​​mostrar agressividade sem ser ameaçado, etc. Crises parciais podem se tornar generalizadas.

Generalizada: neste tipo de convulsões, costumam aparecer perturbações motoras, porém, desta vez afetando uma maior extensão do corpo, tais como contrações involuntárias do músculo, rigidez do pescoço e extremidades, animal em decúbito, abertura da boca, pedalar e também podem ocorrer manifestações vegetativas, como micção / defecação ou ptialismo (excesso de salivação) e até perda de consciência ou perda momentânea do tônus ​​muscular.

Após a convulsão e antes dela, também podemos notar que o animal fica inquieto, agressivo, com lambidas compulsivas, etc.

Se o seu animal tem uma convulsão generalizada com duração superior a 2 minutos, que aumenta a frequência das mesmas, que a gravidade aumenta ou que ele não se recupera corretamente após um episódio (ou vários seguidos), devemos ir com urgência ao veterinário, pois pode ser uma emergência vital.

Em qualquer caso, antes de um ataque total ou parcial, é importante ir ao veterinário para realizar o diagnóstico e tratamento adequado, um deles é a epilepsia, no entanto, devemos ter em mente que existem muitas outras causas que podem ocasionar esses episódios, incluindo alterações vasculares, metabólicas, intoxicações, traumatismos, etc.

Deixe uma resposta